• 24 de September de 2021
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

As galinhas, os turistas e a volta das viagens!

As galinhas, os turistas e a volta das viagens!

Por: Paulo Panayotis | São Paulo - Brasil Categoria: Colunista

As galinhas, os turistas e a volta das viagens!
São Paulo, SP – Lembra de um desenho animado no qual as galinhas, presas há muito tempo no galinheiro, saiam em desabalada carreira quando o portão era aberto? Pois é isso que já acontece nos países civilizados, digo, nas nações que já vacinaram boa parte de sua população. Com a demanda reprimida em quase tudo, não seria diferente no setor do turismo, que movimenta bilhões.

A fuga das galinhas, desenho animado dos estúdios Ardman Animations e DreamWorks Animations (foto divulgação)

A partir dessa quarta feira, 19 de maio, após quase sete meses de #lockdown por conta da #pandemia de #Covid19, restaurantes, museus, cinemas e teatros reabrem progressivamente na França. Morei lá no ano passado e, confesso, não via a hora de isso acontecer. Imagine o restante da Europa e do mundo, sedentos por voltar a perambular pelas ruas da ‘Cidade Luz’?

Torre Eiffel iluminada em algum lugar de Paris

Isso sem falar nos trabalhadores que, por conta da pandemia, se viram forçados a ficar em casa em um dos mais longos períodos de #confinamento. Foram longos, tenebrosos e ininterruptos meses com praticamente tudo fechado! Me lembro de que era a maior alegria, no ano passado, quando eu saía de casa invariavelmente em direção ao supermercado! E isso morando em plena região dos melhores e mais importantes vinhos do planeta! Junto com a pandemia e como milhares de pessoas nos cinco continentes, meu projeto teve que ser adiado na Borgonha e eu mudei para Atenas, na Grécia.

Videiras de uva Pinot Noir na Borgonha, França

Por lá, consegui viajar um pouco pelas ilhas gregas durante o verão. O ‘país dos deuses’ era, naquele momento, um dos que melhor se saíam bem na pandemia com baixos índices de contaminação e pouquíssimas mortes. Mas nem por isso foi poupado.

Por do sol na ilha de Santorini, na Grécia em 2020

Em setembro os casos explodiram e, mais uma vez, me vi forçado a ficar enclausurado esperando que este pesadelo passasse! Novamente, a hora mais feliz era ir ao supermercado, sempre de máscara e por apenas poucas horas permitidas por dia pelas autoridades! Me sentia como uma das galinhas do desenho animado! Novamente nesta semana, uma proposta aprovada pelos 27 países que compõem a União Europeia (EU) decidiu aliviar as restrições de viagem para visitantes de fora do bloco europeu. Há condições rígidas como continuar mantendo o distanciamento social, lavar as mãos o tempo todo, testes etc. Mas a principal delas é ter sido vacinado! Totalmente vacinado com as duas doses dos imunizantes já aprovados pela agência reguladora europeia! Além disso, foi criada uma comissão que determina quais são os países “seguros” que podem mandar turistas para a Europa. A lista incluindo tais “portos seguros” será divulgada em breve.

 As cariatides, na Acrópole, em Atenas (2020)

Há, no ar, no mundo civilizado, uma sensação de liberdade, de algo bom acontecendo ou prestes a acontecer. Em Londres e em outras cidades europeias, bem como nos Estados Unidos, é emocionante ver repórteres entrando ao vivo e, antes de darem a notícia, tirarem a famigerada máscara e revelarem um grande sorriso! O quê? Está se perguntando se o Brasil estará nesta lista? Sinto lhe informar que dificilmente estará! E, apesar de otimista que sou, vejo poucos brasileiros viajando nos próximos meses para o exterior. Claro que, quem tem dinheiro sobrando encontra alternativas como ficar 14 dias hospedado em resorts de luxo em países como o México e, a partir daí, seguir para o chamado turismo de vacina. Algumas cidades como Nova York e Miami disponibilizam vacinas para quem estiver por lá. Como sempre, pouquíssimos privilegiados terão acesso. E os brasileiros? Bem, nós teremos que esperar que grande parte da população brasileira esteja vacinada e que nossos índices de contaminação passem a ser pelo menos os mínimos exigidos pela Organização Mundial da Saúde. E olhe que o Brasil poderia não só estar na dianteira da vacinação mundial como estar exportando vacinas para o mundo! Pois é meu amigo, temos que aprender a votar. Na próxima eleição, não aja como as galinhas.

Jornalista Paulo Panayotis na ilha de Naxos, Grécia, em 2020

Fotos: Paulo Panayotis & Adriana Reis

Jornalista viaja com patrocínio e apoio Avis e Universal Assistance