• 5 de June de 2020
  • LANGUAGE:
    • English
    • Español
    • France
    • Chinese
ONDE IR? COMO IR? O QUE FAZER? COMECE A VIAJAR AQUI...

O QUE É NOTÍCIA

Maison Champy: três séculos de vinhos da Borgonha para o mundo

Maison Champy: três séculos de vinhos da Borgonha para o mundo

Por: Adriana Reis Categoria: Geral

Beaune - França - A entrada moderna não revela que estamos numa propriedade de 300 anos. Trezentos anos de história! 

Uma estranha máquina antiga contrasta com a decoração minimalista e a grande mesa de degustação. Estamos na Maison Champy, a mais antiga casa de negociantes de vinho da Borgonha. Quando o então fabricante de barris, Edme Champy, decide abrir as portas deste novo negócio, em pleno século XVIII, ainda não existiam garrafas. 

Instalada num antigo convento, a propriedade tem as condições ideais para uma cave. O rio, que corre embaixo da construção, ajuda a manter temperatura e umidade, essenciais para guardar vinhos. 

De lá para cá muita coisa mudou, mas Champy mantém sua tradição de estar na vanguarda e promover os vinhos da Borgonha no mundo. Conquistar o mundo com os vinhos da Borgonha sempre norteou os projetos da família Champy. Não é à toa que ainda hoje sua equipe tem integrantes de vários países, incluindo, um dos enólogos mais conhecidos da região, o grego Dimitri Bazas. Ao seu lado, no comando das operações do vinho, está o português José Ramalho. Ambos estão aqui há mais de duas décadas. 

"Mesmo com toda a modernidade, gosto de fazer vinhos artesanais”, confessa Bazas. Seu encantamento pela arte de produzir vinhos é o mesmo de José Ramalho. “Gosto de fazer de tudo aqui. Mas gosto muito da emoção da chegada das uvas. Na Maison Champy me sinto verdadeiramente em casa”, admite ele. "É uma das poucas vinícolas que produzem vinho dentro da cidade de Beaune", explica Cyriane Cubadda, responsável pelo enoturismo. No percurso para conhecer um pouco sobre esses três séculos de história, há imagens da Torre Eiffel, um grande tonel original do século XIX, além de cartazes e fotos de várias partes do mundo.

Voltando um pouco na história, é sempre bom lembrar que, se fazer vinhos no século XXI é uma arte, este trabalho era uma verdadeira alquimia há 300 anos.

Na lista de presenças ilustres que passaram por aqui, Louis Pasteur, que também nasceu na Borgonha, merece destaque. O então proeminente cientista francês, nascido na cidade de Dole, a cerca de 50 quilômetros de Beaune, é convidado para testar seus experimentos com vinhos na Maison Champy.

O objetivo era conseguir estabilizar o vinho para evitar que estragasse nas caves e durante o transporte. O resultado foi a descoberta dos fundamentos da fermentação e da pasteurização em temperaturas adequadas. O processo é utilizado até hoje. O tonel onde ele realizou grande parte dos experimentos permanece em perfeitas condições e em local de destaque. 

De olho na expansão do mercado, a família Champy priorizou a participação nas Exposições Universais, grandes marcos de inovações na época. Em 1889, durante a Exposição Universal de Paris, na qual foi inaugurada a Torre Eiffel, Champy se encantou com a Dama de Ferro, e não hesitou em chamar o ousado responsável pelo projeto, Gustave Eiffel. Nascido na Borgonha, Eiffel chega à Maison com a missão de modernizar as instalações. As vigas de ferro aparente, criadas por Eiffel, ainda são as que hoje sustentam o prédio da vinícola.

A história da Maison Champy passou por altos e baixo. Entre 1989 e 2016, a Maison teve vários proprietários, desde a morte do último herdeiro. A partir de 2016, sob o comando do grupo Advini,  iniciou um processo de renovação e, a partir de então, mira o século XXI. Atualmente a produção gira em torno de 350 mil garrafas por ano, que repousam entre seis e vinte e quatro meses antes de chegar às prateleiras. 

Talvez você encontre mais garrafas de vinhos da Maison Champy pelo mundo do que por aqui na Borgonha. Isso porque 80% da produção vão para a exportação e apenas 20% ficam na França. Nossa dica é, quando estiver na Borgonha, não perca a degustação. Prove alguns dos vinhos que já estão nas mais consagradas adegas do Japão, Estados Unidos e Reino Unido, três maiores países importadores. E antes de ir embora, se perca em mais de mil metros de cave onde estão guardadas algumas das relíquias desta região, como garrafas de 1858, 1865, 1872 entre outras.

Uma curiosidade: no passado havia um túnel que ligava a cave à propriedade em frente, que também pertencia à Maison Champy. Com a venda desta propriedade secundária hoje essa passagem está fechada a sete chaves. Afinal de contas quem não gostaria de poder entrar numa cave assim? #Take a deep breath and come to visit #Burgundy. 

Na nossa degustação provamos:  Premier Cru - Pernand Vergelesses  2018, Grand Cru - Corton Charlemagne - 2015, Grand Cru - Corton Rognet  2009, Volnay - 2017 

Informações e reservas: www.maisonchampy.com

Maison Champy - 5 Rue du Grenier À Sel - Beaune - Borgonha - França - Visitas e degustações : 11 horas e 15 horas - Valor: Entre 25 e 70 euros, de acordo com os vinhos

Boutique Maison Champy - 12 Place de la Halle - Beaune - Borgonha - França 

Crédito das fotos: © O Que Vi Pelo Mundo

Por Adriana Reis 

03.03.2020